sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Humor: Dicionário etimoLÓGICO de Millôr Fernandes


Millôr Fernandes é um dos grandes pensadores brasileiros e também um dos maiores humoristas. Uma de suas vastas e variadas produções é o Dicionário etimoLÓGICO, no qual as palavras ganham um novo significado criativo e engraçado numa brincadeira vocabular. 

• Aguardar - Economizar água.
• Algodão - Oferecem alguma coisa.
• Apelido - Coisa lida sem sentar.
• Armarinho - Vento que vem do mar.
• Asfalto - Ausência da principal carta do baralho.
• Aspirar - Aviador endoidar. 
• Barganhar - Herdar um botequim.
• Barracão - Cidadão que proíbe a entrada de cães.
• Certidão - Momento em que eles declaram que você existe como ser.
• Cerveja - Sonho de toda revista.
• Coitado - Estuprado.
• Comensal - Se alimenta com cloreto de sódio.
• Comerciante - Se alimenta em frente.
• Comichão - Devora terra.
• Comodista- A que distância fica?
• Comover - Maneira de olhar.
• Compenetrar - Entrar a pé.
• Competição - Tem um pé de crioulo.
•  Consolidar - Apenas com o fato de cuidar de uma coisa.
• Consumo - O que ainda não foi expremido.
• Convocação- Tem avô de filhote de tubarão.
• Correligionário - Intimação para o legionário abrir no pé.
• Criatura - Suporta o barulho dos grilos.
• Democracia - Sistema de governo do inferno.
• Demolição- Aula do diabo.
• Demover - Olhar o diabo.
• Desenvolta - Dez pessoas cercando uma.
• Desespero - Aguardo uma dezena.
• Destroços - Uma dezena de coisas.
• Detergente - Ato de deter pessoas.
• Dever - Olhar o D.
• Dogmatizar - Misturar cães ingleses.
• Fanfarra - Orgia dos admiradores.
• Fascinantes - Certas mulheres que antes de cederem fazem sinal afirmativo.
• Filatelia - Tomava conhecimento de tuas idéias o pessoal que esperava um atrás do outro.
• Homossexual - Sabão em pó para lavar partes íntimas.
• Informação - Está se fazendo.
• Janota - Começa a perceber.
• Jogador - Sujeito que arrisca a dor alheia.
• Leiteria - Possuiria postulados legais.
• Manutenção - O nervosismo do irmão.
• Maratona - À superfície do oceano.
• Marfim - Onde acaba o oceano.
• Melancólica - Dor de barriga provocada por excesso de melão.
• Missão - Culto religioso desses que enchem o saco.
• Mortificar - Transformar-se em defunto.
• Novecentos - Sujeito que vê centenas de nós por toda parte.
• Obtemperar - Fazer salada com a letra B.
• Padrão - Padre muito alto.
• Pastoral - Tranquilidade entre os esposos das vacas.
• Pelourinho - Pé fulvo.
• Penalizar - Passar as mãos nas plumas.
• Perverso - Por cada estrofe.
• Presidiário - Indivíduo preso todos os dias.
• Pungente - Pessoas que dão tiro.
• Servir - Criatura humana que vai chegar.
• Sólido - Apenas trabalho.
• Unção - Um que não está doente.
• Veracidade - Apreciar a metrópole.
• Viaduto - Local onde se reunem homossexuais.

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Anime - Nodame Cantabile

Nodame Cantabile é um mangá de autoria de Tomoko Ninomiya publicado inicialmente no ano de 2001. É um mangá do segmento shojo, que tem como público alvo adolescentes do sexo feminino. Além disso, ganhou o prêmio Kodansha Manga Award em 2004 como melhor shojo mangá.

Em 2007, sob direção de Ken'ichi Kasai, Nodame Cantabile tornou-se também um anime e foi dividido em três temporadas: Nodame Cantabile, Nodame Cantabile Paris-Hen e Nodame Cantabile Finale. A quarta temporada ainda não foi lançada em anime, mais deverá se chamar Nodame Cantabile Opera-Hen.

Diferentemente do Brasil, no Japão, as publicações têm públicos específicos. Além do segmento shojo, do qual Nodame Cantabile faz parte, existem outros principais segmentos, como:

Josei - Público feminino
Seinen - Público masculino
Shonen - Adolescentes do sexo masculino
Kodomo - Público infantil

Nodame Cantabile conta a história de dois jovens vizinhos e estudantes de música clássica, Megumi Noda (Nodame) e Shinichi Chiaki.

Chiaki estuda piano e sonha em tornar-se um maestro renomado, conhece Nodame por acaso. A jovem o encontra bêbado na soleira da porta e o leva até seu apartamento. Chiaki acorda escutando Nodame tocar piano e imediatamente se encanta pela música da moça. Inicialmente é um pouco egoísta, pensando apenas em si mesmo e na música. Devagar, muito devagar, começa a se apaixonar por Nadame, passando a cuidar da moça e a incentivá-la na carreira musical. Conquista a tão sonhada fama, mas continua ambicioso, querendo sempre mais. Conta com a presença de Nodame em todos os momentos, sejam eles alegres ou tristes.

Nodame é uma verdadeira gênia musical, não consegue ler partituras, simplesmente ouve a música e a toca no piano. Apaixona-se de imediato por Chiaki, mais inicialmente não é correspondida. Seu sonho é ser professora de jardim da infância, mas por amor a Chiaki, decide dedicar-se somente à música. É também uma amiga leal e sincera, além de ser muito dedicada quando se compromete com o piano. Apesar de ser engraçada e totalmente sem-noção, Nodame é uma personagem muito complexa, imprevisível e cativante.

As três primeiras temporadas mostram como o relacionamento desse casal aparentemente diferente, se desenvolve. Além disso, mostram o crescimento e o amadurecimento dos personagens, suas conquistas, perdas e amizades, assim como a dedicação extrema à música.
Nodame Cantabile é um anime extremamente agradável de assistir. Com uma trilha sonora magnífica e uma protagonista que surpreende o telespectador a cada cena, é perfeito para os amantes de música clássica e para aqueles que gostam de um romance imprevisível com uma boa dose de humor.

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Kafka e a Boneca Viajante, Jordi Sierra i Fabra

Kafka e a Boneca Viajante, de autoria de Jordi Sierra i Fabra e com ilustrações de Pep Montserrat, foi vencedor do Prêmio Nacional de Literatura Infantil e Juvenil do Ministério da Cultura da Espanha em 2007.

No ano de 1963, Kafka passeava pelo parque Steglitz em Berlim, quando deparou-se com uma garota que chorava sem cessar por sua boneca perdida. A partir disso, Kafka escreveu durante três semanas cartas para a pequena menina, cujo rementente, era ninguém menos que a boneca perdida, que agora viajava pelo mundo.

O relato foi contado por Dora Dymant, esposa do escritor e transformado em um livro singular pelo espanhol Jordi Sierra i Fabra. No entanto, as cartas originais e a própria garota nunca foram encontradas.

Um trecho do livro:

" Ela chorava em pé, desconsolada, tão angustiada que parecia trazer no rosto toda a dor e aflição do mundo.

Franz Kafka olhou para um lado e para outo.

Ninguém notava a menina.

Estava sozinha.

Não sabia o que fazer. As crianças eram um completo mistério, seres de alta periculosidade, um conjunto de risadas e lágrimas alternadas, nervos e energia à flor da pele, perguntas sem fim e exaustão absoluta."

No livro, a menina Elsi perde sua boneca Brígida e o escritor presenciando o choro da criança, percebe o quanto a boneca lhe é importante. Assim, se transforma num carteiro de bonecas, que a cada dois dias entrega à pequena uma carta da boneca que está viajando ao redor do mundo.

As cartas de Brígida são cobertas de sentimentos, escritas não apenas para consolar Elsi, mais também para ensiná-la a lidar com a vida em geral.

" ... quanto a mim, seria incapaz de matar um leão ou um elefante. Totalmente incapaz. Para que destruir uma vida? Esses animais selvagens são tão lindos, Elsi. Tão lindos e nobres em sua liberdade. A natureza é tão pródiga com seus filhos. Às vezes percebo que o mundo é o lugar mais bonito que existe, e vejo a imensa sorte que temos de viver nele..."

Kafka e a Boneca Viajante é um livro delicado e cativante. A história é bem contada e muito bem escrita, com palavras simples carregadas de sentimentalismo.

É um livro perfeito para aqueles dias que precisamos de uma leitura reconfortante, que acalme e emocione.

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Bela campanha de incentivo à leitura

A Literacy Foundation tem uma maravilhosa campanha de incentivo à leitura desde a infância, e agora compartilhamos no blog, pois esta é uma campanha que vale a pena e precisa ser divulgada.










terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Harry Potter - A Magia do Cinema

Estava conversando com uma amiga da minha irmã, a Natália (que também é Pottermaníaca) sobre os filmes do bruxinho. Conversa vai, conversa vem e ela me diz que tem o livro Harry Potter - A Magia do Cinema. Quando escutei as palavras Harry Potter e cinema fiquei louca, e a Natália, super fofa, me disse que traria o livro para eu conferir todos os Fac - Símiles, entre eles o Mapa do Maroto, o convite para o Baile de Inverno, a carta que Harry recebeu convidando-o a entrar em Hogwarts entre outras coisas de fazer qualquer fã babar.

O livro é ricamente ilustrado e mostra tudo o que acontece nos bastidores dos filmes da saga. Além de informações básicas, como figurino, maquiagem, posições das câmeras, cenários e dublês, traz depoimentos do diretor e dos atores principais e secundários.

Acredito que muita coisa que está no livro já é de conhecimento geral entre os fãs da série, mas também têm muitas coisas desconhecidas, que surpreendem quando são descobertas, deixando aquele gostinho de quero mais.

Os Fac-Símiles são réplicas removíveis de objetos cênicos. Ao todo, são treze e todos em Inglês, o que sinceramente achei ótimo, já que uma versão traduzida tiraria todo o glamour!

Não consegui fazer montagens com as fotos, então, abaixo vocês podem vizualizá-las individualmente.

Folheto da Copa de Quadribol, com informações dos países participantes e escalação de jogadores.

Carteira de Identidade bruxa

Catálogo Borgin & Burkes

Panfletos com proibições que Umbridge espalha por Hogwarts quando assume a direção da escola.

Primeiras páginas do livro

Convite do Baile de Inverno de Harry Potter e O Cálice de Fogo

Carta de Hogwarts para Harry

Caixinha (vazia) dos feijõezinhos de todos os sabores que a Natália ganhou da FISK.

O livro Juro solenemente não fazer nada de bom O Mapa do Maroto

Catálogo das Gemialidades Weasley

Gostei tanto do livro que comprarei meu próprio exemplar no final do mês. É um verdadeiro deleite para os fãs, uma relíquia para guardar por toda a vida!

Até mais!

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Hora de Clarice



Ontem a escritora Clarice Lispector completaria 91 anos e, no embalo das homenagens do Bloomsday e do Dia D (Dia Drummond), fãs se reuniram em capitais como Rio de Janeiro, São Paulo, Porto Alegre, Belo Horizonte, Curitiba, Belém e Recife para homenagear uma das grandes representante da Literatura Brasileira moderna. Tiveram iniciativa da Editora Rocco, que detém os direitos de publicação de seus livros no país e irá continuar nessa semana. 


Para saber mais acesse os links:

Site Estadão